quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Locais para treinar - Pista do Bolão

O sonho de grande parte dos corredores é ter uma pista de atletismo para treinar. Mas nem sempre é possível ter este acesso, infelizmente.

Os moradores de Jundiaí tem o privilégio de ter uma pista oficial de uso público. Sempre tive muita vontade de conhecer o local, e esta semana surgiu a oportunidade.


A pista fica localizada no Complexo Esportivo Nicolino de Lucca, conhecido como Bolão, que foi inaugurado dia 4 de outubro em 1953 pelo prefeito Luiz Latorre para ser utilizado na disputa do 18º Jogos Abertos do Interior.


Por todo o envolvimento e dedicação no processo de construção, o ginásio recebeu o nome do Dr. Nicolino de Lucca, médico e grande jogador de xadrez. No ano de 1984, foi feita uma ampliação no complexo, com a construção do edifício anexo, das quadras poliesportivas e da pista de atletismo.


Hoje, o conjunto Poliesportivo Dr. Nicolino de Lucca é composto pelo ginásio de esportes, quadras poliesportivas, quadras de tênis, pista de atletismo, piscinas descoberta e coberta aquecida, além de abrigar o edifício da Escola de Educação Física (Esef) de Jundiaí.



Portaria
Ginásio

Parte interna do Ginásio
Dentro do Ginásio há um acervo com diversos trofeus conquistados ao longo de todos estes anos. Um verdadeiro tesouro repleto de histórias de grandes atletas. Entre eles, uma foto com a imagem de Nelson Prudêncio, que foi medalha de prata na Olimpíada da Cidade do México, em 1968, e bronze em Munique, em 1972. Além de ser o primeiro das Américas a superar os 17 metros, e que por três vezes, estabeleceu o recorde mundial.

Fui conhecer a pista e fiz na segunda e na quarta as sessões de treino intervalado.


Placas com as regras de utilização da pista






Seria muito bom se tivéssemos mais locais como este, públicos, para treinar. Afinal, a corrida é a modalidade do atletismo que tem o número de praticantes em ascensão, e precisava ser mais valorizada.








terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Correndo sempre por ele

Não é nada fácil voltar a rotina depois de perder uma pessoa que era o seu herói, que te acompanhou desde o seu nascimento em tudo que realizou em sua vida, que torcia e vibrava por suas conquistas, e chorava de emoção quando via você e sua família bem.



Perdi meu pai, para uma doença que regrediu as suas capacidades em apenas alguns anos, e o seu maior tesouro, as memórias de sua vida.

Fazia apenas uma semana que ele não estava mais entre nós. Poucos dias que esta dor tomou conta de toda família.

Tinha saído para correr duas vezes, sem rumo, apenas para tentar relaxar e amenizar a tristeza. Fui na cidade de Aparecida com minha mãe e meus irmãos para rezarmos a missa de sétimo dia do meu pai. Neste local sentimos uma paz tão grande, que de alguma forma confortou os nossos corações.


Ao chegar em casa recebi uma mensagem do Colucci, perguntando se eu poderia participar de uma corrida no domingo seguinte. Contei para ele o que havia acontecido, e segui o seu conselho de aceitar o convite para me sentir um pouco melhor através do que mais amo fazer.

E assim participei no dia 6 de dezembro da 4ª Corrida de Natal, no Parque do Ibirapuera. Optei correr nos 5km.

Larguei no meu ritmo e tentei buscar as meninas que disputavam as primeiras posições. Mas nem minha cabeça e meu corpo queriam me obedecer. E assim tentei correr o máximo que pude.


Corri praticamente a prova toda ao lado do Colucci, que me concedeu a inscrição, e que sempre contagia a todos com sua alegria e energia positiva, mesmo quando na corrida acontecem fatos inesperados, como nesta, em que a polícia estava atrás de um manifestante.

Terminei a prova na 6ª colocação. Não subi ao pódio. Mas esta e todas minhas corridas, sejam elas treinos ou competições, sempre serão dedicadas ao meu pai, a minha mãe, e a todos que torcem por mim.

Colucci

Flávia
Quero aqui agradecer aos abraços recebidos dos amigos Colucci, Clovis, Flávia, Ana Luiza (Animal).   
E em especial a esta pessoa que está ao meu lado em tudo: Marcelo. Obrigada sempre.

Marcelo
Parabéns a todos participantes!

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Mais uma de 5k: Circuito Caixa etapa São Paulo

Largada Geral - Foto: Circuito Caixa Oficial

Cada treino nos ensina a treinar melhor para os próximos, assim como cada prova nos ensina a melhorar as estratégias para as competições seguintes.

E assim foi. Segunda competição pós período afastada dos treinos. Mesma distância da primeira. Percurso de maior dificuldade. E tempo mais baixo de conclusão.

Fiquei muito feliz com o resultado obtido ontem no Circuito Caixa Etapa São Paulo.

Mantive durante toda a prova um ritmo uniforme e ideal para o meu estado atual de treinamento. Mesmo com o percurso variado, consegui manter uma velocidade média sem muitas oscilações.

Completei o percurso em 20:44, dez segundos a menos do que a prova anterior, e na terceira colocação geral feminina. Em breve, com mais treinos, retornarei as marcas anteriores na distância, a qual sempre conseguia completar abaixo de 20 minutos.





Quero agradecer ao Antônio Colucci pela oportunidade de participar, mais uma vez representando o #teamspider! E também parabenizar a todos participantes.

Obrigada Marcelo por estar sempre comigo. Domingo que vem estaremos juntos correndo mais uma prova.






quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Planeje a sua corrida e alcance o seu objetivo

Há diversos fatores envolvidos no treinamento que o tornam complexo. 

Valorize sempre cada dia de treino e perceba toda sua evolução. 

Preste atenção nas sensações e reações de seu corpo e se está respeitando a recuperação dele.

Sinta-se motivado a treinar em todas as sessões, pois cada uma delas é parte de um planejamento, assim como cada peça de um quebra-cabeça. Se você mudar a posição ou até mesmo o tamanho de alguma delas, não irão se encaixar mais, comprometendo o produto final: o seu objetivo!

Possui o interesse de organizar seus treinos de corrida?
Envie seu e-mail para: barcelos_da@yahoo.com.br

domingo, 15 de novembro de 2015

5.000 na pista - Clube Esperia 112 anos de atletismo

O Clube Esperia completou 112 anos de atletismo. E nada melhor do que comemorar correndo.

Sábado, dia 14 de novembro aconteceu a corrida comemorativa de 5.000 metros na pista do clube. Além dos associados, pessoas de fora do clube também podiam fazer a sua inscrição na Secretaria do clube.

Foram 7 baterias de 12 pessoas em cada uma delas aproximadamente. A primeira largada ocorreu as 8h da manhã, e assim as outras foram na sequência.

5ª bateria - o sol já estava forte


Eu e o Marcelo nos inscrevemos na prova. Para mim, foi uma oportunidade de correr novamente no clube, local onde treinei durante o ano de 2013. Para o Marcelo, foi um treino de ritmo que inseri em seu planejamento que tem como prova alvo a TF Run Series dia 29 de novembro, na qual ele irá buscar a melhora de sua marca pessoal nos 10 quilômetros.


Marcelo


Dani


A nossa bateria, a penúltima do dia, (pois após a nossa ocorreu a bateria dos atletas do Esperia), largou ao 12h13. O sol estava forte e a temperatura em 30º.

Antes da largada - foto oficial


Foi um grande desafio aos participantes. A temperatura mais alta compromete o rendimento de todo atleta. Por isso o ritmo planejado precisa ser ajustado.

Largada!


Após a prova

Adorei participar e rever o treinador Marcos Feitosa, que me treinou durante um ano. Foi um grande prazer. Fiquei na segunda colocação geral feminina de todas as baterias e trouxe para casa um troféu!
O Marcelo, mesmo com o calor, fez a prova no ritmo planejado.

Treinador Marcos Feitosa

Pódio feminino


Foto final


Parabéns ao clube pelo evento e a todos profissionais envolvidos! Parabéns pelos 112 anos contribuindo para a história do atletismo!


sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Elaboração e Planejamento do treinamento de corrida

Possui interesse de organizar os seus treinos de corrida?

Seja qual o seu objetivo, um planejamento é importante e necessário para evoluir nesta modalidade.

Trabalho com a elaboração de treinos de forma individualizada, sempre voltada as necessidades e condições físicas atuais do aluno.

Os treinos são enviados mensalmente, e sempre no final de cada semana preciso que o aluno me retorne com algumas informações essenciais para a continuidade do trabalho.

A planilha é bem explicativa e com todos os detalhes necessários para que possa realizar cada sessão de treino sem nenhum tipo de problema.

Em minha prestação de serviço estão incluídos: planilha de treinos para corrida; orientação via e-mail, retorno dos treinos semanalmente com comentários para uma evolução. 

Alguns trechos-exemplo da planilha:



Guia planejamento geral com as datas das provas e divisão de períodos


Guia das sessões de treino


Guia controle semanal, onde o aluno insere alguns dados dos treinos


Quer ter os seus treinos planejados? 

Envie seu e-mail: barcelos_da@yahoo.com.br



terça-feira, 27 de outubro de 2015

De volta as competições

Largada. Foto: Iguana Sports

A competição, mesmo para os corredores amadores, faz parte do planejamento.

E esta foi muito especial. Foi a minha primeira participação após me recuperar da lesão há 3 meses.

Até ela foram 4 semanas de treinos, incluindo a semana pré-prova. Utilizei o método contínuo nas duas primeiras, e depois nas duas próximas incluí o fartlek, para trabalhar um pouco mais a velocidade.

Tinha como meta concluir os 5km em 21 minutos e estava consciente de que não iria conseguir correr como estava antes da lesão. Afinal, a competição reflete aquilo que treinamos, desde que não aconteçam grandes imprevistos ou algo que nos abale fisicamente e psicologicamente.

Confesso que estava sim ansiosa, pois sabendo que no tiro de largada tentaria acompanhar as primeiras mulheres do pelotão. Mas sem condições de sustentar tal ritmo por muito tempo.

Dani


Também era uma prova muito especial para o Marcelo. Nela buscou o seu recorde pessoal nos 10km. Através dos seus treinos, defini uma faixa de ritmo alvo para alcançar este objetivo.
Ele estava muito ansioso. Mas eu tinha certeza de que conseguiria.

Marcelo


E assim as 7h do dia 25 de outubro, na última etapa do Circuito Athenas, partimos em busca de nossos objetivos.

Dani Nobile. Foto: Iguana Sports

Iniciamos a nossa prova, juntamente com milhares de corredores que ajudam um ao outro sem querer. A corrida é individual, mas buscamos sempre uma pessoa alvo para manter o ritmo, e assim concluir a distância do jeito que imaginamos.

Foto: Iguana Sports

Nos três quilômetros iniciais consegui sustentar um ritmo abaixo de 4 min/km.

No retorno dos 5k, a primeira colocada estava bem próxima, mas como minha velocidade reduziu do 3º para o 4º quilômetro, comecei a vê-la distanciando, e logo estava na terceira posição.

Tentei ao máximo manter uma velocidade acima de 14,5km/h. E assim conclui os 5k em 20:45, ritmo de 4'08"min/km e na terceira posição geral feminina.

Pódio 5km


Parabéns meninas!


Fiquei muito feliz com este resultado, terminei a corrida, sem o menor sinal de dor. Apenas cansada do esforço imposto.

Agora faltava ver o Marcelo chegar.

Após retirar a minha medalha voltei ao pórtico de chegada e o aguardei. Quando o relógio se aproximou dos 42 minutos, tinha certeza que ele estava perto.

E assim mesmo ocorreu. Ele concluiu os 10km em seu melhor tempo! Se tornou um sub 42', com exatos 41:56. Certinho, dentro do que planejamos.


Foi um dia muito especial por poder estar mais perto de pessoas que torcem e vibram com os nossos resultados.

Quero também dar os parabéns ao Adriano Bastos, que conseguiu a primeira colocação na meia maratona. Suas vitórias são um grande incentivo aos alunos, pode ter certeza disso. Obrigada pelo apoio sempre.

Aguardando a premiação. Adriano Bastos, Dani e Nathalia.

Pequenos resultados, mas com um significado enorme, pois reflete a consagração de realizar aquilo que gostamos e nos dedicamos, mesmo como amadores deste esporte.

Parabéns a todos! Parabéns aos organizadores por mais um ótimo evento.

Resultados oficiais: http://www.circuitoathenas.com.br/2015/sp-21k#

Obrigada por sua visita! Bons treinos!








domingo, 4 de outubro de 2015

O retorno



Há algumas postagens comentei sobre uma dor intermitente que impediu de correr por dois meses. Na época não imaginava que esta dor estava relacionada com um problema nas costas, mais especificamente em duas vértebras lombares, L4 e L5. 

A fase mais critica foi após a minha participação nos 6k da Olympikus Family Run, no Rio de Janeiro, tive que interromper totalmente os treinos de corrida, mantendo apenas giros leves com a bicicleta e alguns exercícios de fortalecimento que não me causassem dor. 
E foi através de exames de imagens e orientações de grandes profissionais que pude realizar um tratamento adequado.

Mas esta postagem é para contar a vocês como estou no retorno aos treinos.

Iniciei esta fase dia 22 de setembro, e este foi o dia de comprovar que estava curada. A paciência é essencial agora, para que eu possa aos poucos me readaptar a rotina de treinos.

Organizei o meu planejamento, priorizando inicialmente volume baixo e ajuste da intensidade conforme as minhas evoluções semanais. 
A frequência até o final deste ano será de 3 vezes semanais nos treinos de corrida, alternados com 3 dias de musculação, e um de ciclismo.

Coloquei uma prova alvo no final de novembro, para ter um parâmetro e comparar com marcas anteriores a lesão.

Na próxima e terceira semana de treinos, retorno aos estímulos de velocidade, através de fartleks, e mais a frente intervalados intensivos e extensivos, e treinos de ritmo, quando a competição se aproximar.

O controle é através da combinação das variáveis volume, intensidade (velocidade), tempo, percepção de esforço e cansaço. A partir destes dados consigo calcular a carga de treinamento diária, e a distribuir de forma adequada.

Estou muito contente por retomar a rotina de treinos, com muito mais cautela e paciência, aplicando todo conhecimento adquirido nestes meus 15 anos de corrida de rua aliados ao que trabalho e estudo diariamente.

Será um grande prazer relatar nas próximas postagens sobre a minha evolução nos treinos e os ajustes feitos para isso.

Obrigada por sua visita! Bons treinos!
#correreminhavida 


quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Corredor precoce


A frase acima me estimulou a refletir sobre entrada precoce de corredores em distâncias maiores.

Será que ao iniciarmos na modalidade esportiva CORRIDA pulamos etapas importantes?

Se pensarmos desde o início, quando nascemos e iniciamos os primeiros movimentos, aprendemos a rastejar, rolar, e enfim gatinhar.

E o correr também está inserido neste aprendizado, é a parte final desta série de movimentos que não precisam ser ensinados.

Para cada fase, necessitamos de tempo para nos adaptar e aperfeiçoar, e assim progredir para a próxima. E no treinamento planejado para a corrida isso não seria diferente, pois há a necessidade de nos adaptarmos aos estímulos, e principalmente a todas variáveis existentes como controle do treinamento.

Pesquisadores publicam diariamente estudos que investigam as causas mais frequentes de lesão, relacionados ao treinamento. E uma das causas maiores é o aumento brusco das variáveis volume e intensidade.

Precisamos de tempo para aumentarmos a quilometragem a ser percorrida. Por isso fico extremamente preocupada quando vejo pessoas que partem precocemente para a distância MAJOR nas corridas: a MARATONA.

São necessários experiências anteriores com as distâncias menores a ela. É muito mais interessante se desafiar bastante nos 10k, 15k, meia maratona muitas vezes, antes de partir para a estreia em uma maratona.

Não se deixe levar por esta onda de pessoas que participam de uma prova como esta sem preparação adequada. Pois mesmo com um treinamento adequado, percalços podem ocorrer no caminho.

Primeiramente siga um planejamento adequado e aventure-se nas distâncias menores, para assim estar certo de que é a hora certa.
E lembre-se, você não é obrigado a participar de uma maratona para se tornar um corredor. A corrida é muito mais do que isso, ela te traz benefícios diários se a fizer com cautela, dedicação e segurança!

Corra, adquira experiências, vivências, aprendizados e divirta-se muito com seus treinos!


Leitura recomendada sobre o assunto, por Marcelo Camargo: 
http://corridanoar.com.br/quanto-tempo-e-necessario-para-se-preparar-para-uma-maratona/

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Campanha #VemComADani

Essa é a Dani, e seu sobrenome é vitória! 


"Meu nome é Danielle, tenho 29 anos. Era professora de inglês, além de amar correr e ter orgulho de ser meia maratonista. Há 3 anos, sofri um acidente de carro, fraturei a sétima vértebra da cervical e fiquei tetraplégica. 

Correr era, e ainda é, a minha maior paixão. Quando eu passei na linha de chegada pela primeira vez, percebi que eu queria fazer isso pro resto da minha vida. Mas não pense que o sonho acabou depois do acidente. 

Há 1 ano e meio, ganhei uma handbike dos meus amigos e nesse momento, começa a minha nova história. Entrei para o paraciclismo, ganhei a meia maratona de Buenos Aires 2014 e, por ter sido campeã da Wings for Life 2014 na categoria cadeirante feminina, me tornei embaixadora da prova, representando nosso país na Wings For Life 2015 em Verona, na Itália.

Hoje, sou a 3° no ranking nacional no paraciclismo. Recentemente entrei para o paratriatlhon e tenho muito orgulho de dizer que sou a 1ª mulher cadeirante triatleta de nosso país. Mas minha handbike é de ferro e não atende as especificações da UCI pra grandes provas internacionais. 

Sozinha, eu não consigo comprar uma handbike de alumínio, pra continuar vivendo o sonho da corrida e pra melhorar meu desempenho, representando o Brasil lá fora. 

A minha escolha foi viver e não sobreviver. E o esporte é o que me motiva. Vem comigo e me ajude a continuar vivendo esse sonho." 


Dani Nobile


terça-feira, 11 de agosto de 2015

Recuperar para voltar a correr

Neste texto gostaria de relatar dois assuntos. A minha conquista na corrida Olympikus Family Run no Rio de Janeiro e o por que da minha não participação na Meia Maratona Golden Four em São Paulo.

Há cerca de 5 semanas estava sentindo uma dor intermitente na perna esquerda, principalmente ao redor da canela. No princípio imaginei que fosse uma canelite (inflamação do principal osso da canela, a tíbia, ou os tendões e músculos que a envolvem e que causa uma dor similar). Mas não encontrava pontos específicos de dor, que é algo característico desta lesão. A dor que sentia modificava de lugar dia-a-dia.

Interrompi os treinos de corrida, duas semanas antes da prova de 6k do Rio de Janeiro, pensando ser um tempo suficiente para me curar. Continuei com os treinos aeróbicos por meio de pedaladas e transport na academia, além de exercícios corriqueiros de fortalecimento e que não me causavam dor.

Mas não pude evitar de realizar os esforços diários em casa e no trabalho. E isso acabou retardando a minha recuperação.

Chegou o dia da competição. Estava com muito medo de não conseguir correr, e ao mesmo tempo bastante ansiosa para a prova.

Quando fui iniciar o aquecimento, senti novamente dor, e com a mesma intensidade. Parei imediatamente e continuei realizando a preparação para a prova através de uma caminhada.
No momento pensei: "se for para sentir, será somente no momento da prova".

E assim foi. A partir do tiro de largada, procurei encontrar uma forma de correr que me causasse menos desconforto. Corri o mais rápido que pude. E assim foi durante os 24' de prova.

Consegui terminar a corrida na segunda colocação.










Após a minha participação, as dores ficaram mais fortes. 
Consultei alguns profissionais e foi constatado uma possível inflamação de origem neural.

A primeira hipótese seria uma inflamação no nervo ciático. Este é o maior nervo do corpo humano. Estende-se pela face posterior do quadril, desce por trás da coxa e do joelho de cada perna até alcançar o dedo maior do pé. É responsável em grande parte pela inervação sensitiva, motora e das articulações dos membros inferiores.

São sintomas característicos da dor ciática, que necessariamente não ocorrem ao mesmo tempo. 

- dor que irradia da coluna lombar para a parte posterior da coxa e da perna;

- aumento da dor na perna com tosse, espirro ou estiramento da coluna;

- diminuição da força muscular;

- perda de sensibilidade ou diminuição dos reflexos na região afetada;

- aumento da dor com a manobra de elevar o membro inferior esticado se o paciente estiver deitado.

Os sintomas da compressão do ciático podem variar muito, podem estar ou não associados à dor lombar e, em geral, pioram à noite.

Uma segunda hipótese, após uma consulta com o Dr. José Marques Neto, seria uma hérnia de disco ou algum tipo de pinçamento entre as vértebras lombares ou sacras. 

No momento estou fazendo alguns exames para confirmar o diagnóstico e realizar o tratamento necessário, para voltar a fazer o que mais amo.

Continuo sem treinar corrida, e também tive que optar por não participar da Golden Four em São Paulo, para me poupar mais e me curar. 

Gostaria de agradecer aos profissionais que me auxiliaram, ao Adriano Bastos por me indicar a Ketlin. Onde fiz algumas sessões de Quiropraxia que ajudaram a aliviar bastante a dor.

A Quiropraxia auxilia na redução de dores e tensões, restaurando o movimento normal da vértebra ajustada ou da articulação afetada. Muito obrigada por todos esclarecimentos e atendimento.


Agradeço também ao Dr. José Marques Neto por todo esclarecimento das minhas dúvidas, além de importantes orientações.

Não vejo a hora de voltar a correr.