quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Corredor precoce


A frase acima me estimulou a refletir sobre entrada precoce de corredores em distâncias maiores.

Será que ao iniciarmos na modalidade esportiva CORRIDA pulamos etapas importantes?

Se pensarmos desde o início, quando nascemos e iniciamos os primeiros movimentos, aprendemos a rastejar, rolar, e enfim gatinhar.

E o correr também está inserido neste aprendizado, é a parte final desta série de movimentos que não precisam ser ensinados.

Para cada fase, necessitamos de tempo para nos adaptar e aperfeiçoar, e assim progredir para a próxima. E no treinamento planejado para a corrida isso não seria diferente, pois há a necessidade de nos adaptarmos aos estímulos, e principalmente a todas variáveis existentes como controle do treinamento.

Pesquisadores publicam diariamente estudos que investigam as causas mais frequentes de lesão, relacionados ao treinamento. E uma das causas maiores é o aumento brusco das variáveis volume e intensidade.

Precisamos de tempo para aumentarmos a quilometragem a ser percorrida. Por isso fico extremamente preocupada quando vejo pessoas que partem precocemente para a distância MAJOR nas corridas: a MARATONA.

São necessários experiências anteriores com as distâncias menores a ela. É muito mais interessante se desafiar bastante nos 10k, 15k, meia maratona muitas vezes, antes de partir para a estreia em uma maratona.

Não se deixe levar por esta onda de pessoas que participam de uma prova como esta sem preparação adequada. Pois mesmo com um treinamento adequado, percalços podem ocorrer no caminho.

Primeiramente siga um planejamento adequado e aventure-se nas distâncias menores, para assim estar certo de que é a hora certa.
E lembre-se, você não é obrigado a participar de uma maratona para se tornar um corredor. A corrida é muito mais do que isso, ela te traz benefícios diários se a fizer com cautela, dedicação e segurança!

Corra, adquira experiências, vivências, aprendizados e divirta-se muito com seus treinos!


Leitura recomendada sobre o assunto, por Marcelo Camargo: 
http://corridanoar.com.br/quanto-tempo-e-necessario-para-se-preparar-para-uma-maratona/

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Campanha #VemComADani

Essa é a Dani, e seu sobrenome é vitória! 


"Meu nome é Danielle, tenho 29 anos. Era professora de inglês, além de amar correr e ter orgulho de ser meia maratonista. Há 3 anos, sofri um acidente de carro, fraturei a sétima vértebra da cervical e fiquei tetraplégica. 

Correr era, e ainda é, a minha maior paixão. Quando eu passei na linha de chegada pela primeira vez, percebi que eu queria fazer isso pro resto da minha vida. Mas não pense que o sonho acabou depois do acidente. 

Há 1 ano e meio, ganhei uma handbike dos meus amigos e nesse momento, começa a minha nova história. Entrei para o paraciclismo, ganhei a meia maratona de Buenos Aires 2014 e, por ter sido campeã da Wings for Life 2014 na categoria cadeirante feminina, me tornei embaixadora da prova, representando nosso país na Wings For Life 2015 em Verona, na Itália.

Hoje, sou a 3° no ranking nacional no paraciclismo. Recentemente entrei para o paratriatlhon e tenho muito orgulho de dizer que sou a 1ª mulher cadeirante triatleta de nosso país. Mas minha handbike é de ferro e não atende as especificações da UCI pra grandes provas internacionais. 

Sozinha, eu não consigo comprar uma handbike de alumínio, pra continuar vivendo o sonho da corrida e pra melhorar meu desempenho, representando o Brasil lá fora. 

A minha escolha foi viver e não sobreviver. E o esporte é o que me motiva. Vem comigo e me ajude a continuar vivendo esse sonho." 


Dani Nobile