sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Retrospectiva 2014

Mais um ano que está prestes a terminar com muitos momentos para relembrar. 

Terminar e relembrar são palavras que rimam, e por isso precisamos enxergá-las juntas 
para entender o real significado e do quanto uma depende da outra.

Que 2015 seja repleto de muitas realizações a todos, e que cada um de vocês se 
aproxime mais dos próprios sonhos.

Feliz Ano Novo!



video

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Ranking Circuito Corpore 2014

Mais um ano de competições, emoções e de muitos aprendizados.

Cada prova deixou uma lição, uma experiência diferente. Cada percurso e distância percorrida exige uma dedicação a mais a um tipo de método de treino, a um volume e intensidade variadas.

Em 2014 estive presente na maior parte das corridas do circuito Corpore. Desde quando comecei a correr tenho elas incluídas em meu calendário.

E pelo terceiro ano consegui ficar entre as 10 melhores participantes do Ranking Corpore no qual premia os atletas com a soma das melhores 5 pontuações obtidas nas provas oferecidas durante o Circuito Corpore.




Além desta premiação, são distribuídos 150 Troféus, 5 por faixa etária no ranking técnico e 185 troféus no ranking fidelidade, sendo neste último a soma de todas pontuações obtidas nas provas oferecidas durante o Circuito. Portanto quanto mais o atleta participar, mais pontos ele acumula para a premiação.



A pontuação é obtida através da Tabela Húngara da IAAF, que contém pontuação por tempo em cada distância para cada sexo, adaptada às corridas de rua da Corpore.

A premiação foi realizada na Câmara Municipal de São Paulo, com representantes da Corpore e outras entidades.



Foi muito bom estar presente novamente neste evento que encerra o ciclo de 2014.








Parabenizo a Corpore Brasil por todo incentivo aos corredores amadores e ao esporte.

Parabéns aos atletas premiados! Que o ano de 2015 seja repleto de mais conquistas a todos!


domingo, 14 de dezembro de 2014

Categorias Wheelchair e Handcycle na corrida de rua

As últimas postagens da Dani Nobile em seu blog despertaram um interesse em pesquisar sobre as diferenças das cadeiras de ciclismo e atletismo no paradesporto.

A nomenclatura internacional destas duas categorias são Handcycle e Wheelchair.

Provas como a Volta Internacional da Pampulha permitem apenas os cadeirantes da categoria Wheelchair e, por outro lado, a liberação em outros eventos das cadeiras de ciclismo (Handcycle), como o circuito Golden Four de meias maratonas.

Recorte regulamento Volta Internacional da Pampulha 2014

Existem diferenças entre as duas cadeiras, tal como o posicionamento do atleta, a movimentação dos braços, a velocidade que cada uma pode atingir e a classificação funcional do atleta de acordo com a sua deficiência.

Atleta da categoria Handcycle em uma prova de ciclismo de estrada

Atletas da categoria Wheelchair em uma prova de rua


Não é a toa que grandes corridas como a maratona de Nova York, que permitem a participação das duas categorias, realizam as classificações separadamente.

Cinco primeiros colocados da categoria Handcycle na maratona de Nova York 2014

Cinco primeiros colocados da categoria Wheelchair na maratona de Nova York 2014
Cinco primeiras colocadas da categoria Wheelchair na Maratona de Nova York 2014

Cinco primeiras colocadas da categoria Handcycle na maratona de Nova York 2014


Visualizando os resultados fica claro o quanto os atletas da categoria Handcycle finalizam a distância em um tempo muito menor do que a outra categoria, mostrando a importância de que a classificação deva ser realizada separadamente.

A solução não é proibir, mas sim deixar que os atletas de ambas categorias participem, e a organização realize a classificação das duas. 
E deixar isso claramente divulgado no regulamento, como já acontece em muitas provas em todo país e no mundo:

Recorte do regulamento da Meia Maratona Internacional da Belo Horizonte 2014
São esclarecimentos que tornam a relação entre os atletas e organizadores muito melhor.

O ideal não seria restringir, mas sim deixar que os atletas de todas categorias possam participar de todos eventos de rua, contribuindo para que o esporte cresça mais em nosso país.