quinta-feira, 27 de abril de 2017

Aprendendo com as competições: Track Field JK Iguatemi

Segunda prova de 5k deste ano: Track Field JK Iguatemi.

O objetivo era verificar o efeito do segundo ciclo de treinos após a primeira prova alvo em março.

Estava muito mais ansiosa para esta prova do que para a primeira. Acredito que pelo fato de ter feito um excelente tempo pessoal na prova em março, a cobrança pessoal era de ficar próxima da marca obtida.

Tivemos (eu e o Marcelo), um intervalo de 7 semanas entre as duas provas, um tempo mais que suficiente para fazer um ciclo de treinamento com foco na velocidade, utilizando intervalados intensivos, extensivos, treinos de ritmo e rodagens como complemento de volume semanal.


Porém a minha ansiedade (não somente no dia da prova, mas também nas sessões de treinos de velocidade) atrapalhou que eu corresse solta.
Acredito e tenho experiência pessoal, além de relatos de alunos e amigos, que a parte psicológica é capaz de atrapalhar o rendimento se não controlada.

Isso na maior parte das vezes é deixado em segundo plano, mas dependendo do perfil do atleta, é necessário dar mais importância, e no meu caso, eu sou este tipo de atleta.

O dia, o clima, estava tudo propício a realizar boas marcar pessoais, porém no aquecimento e principalmente minutos antes da largada, estava muito, mais muito ansiosa. E conversando com o Marcelo já percebi que seria uma prova difícil, uma competição com os meus pensamentos.

A largada foi dada pontualmente as 7h, comecei a correr do jeito que sempre faço, vou ganhando velocidade durante o primeiro quilômetro, pois não sou de largar forte. Porém os meus pensamentos me atrapalharam, fiquei correndo na minha "zona de conforto", porém não desisti. Visualizava o Marcelo bem a minha frente e tentava alcança-lo. Fiz uma prova progressiva, e terminei sentindo que sobrou energia. Em provas curtas não temos muito tempo para pensar, pois elas acabam muito rápido. Quando eu me senti dentro da prova realmente, ela estava em sua metade e desta forma consegui ultrapassar algumas meninas, (e meninos também rsrs), e fiquei na 5ª colocação. Tempo final: 22:27.



Não fiquei satisfeita com este resultado, porém fiquei feliz de ter aprendido muito com esta competição. Aprendi que eu posso mais sim, só preciso controlar os meus pensamentos e acreditar, e principalmente não ter medo.




Deixo um parabéns especial ao Marcelo, que cumpriu a prova dentro do objetivo, e sempre está ao meu lado dando conselhos, ouvindo e apoiando.





Também para a corredora Cristiane, que ficou em segundo lugar, e conversou muito comigo no pós prova dando conselhos. Obrigada Cris!
E um super parabéns as alunas que correram juntas: Alessandra, Mariana e Fernanda!



Agora é seguir em frente, pois competições passam e sempre deixam lições para as próximas. É só abrir a mente para elas. Em maio tem mais, e eu tenho que estar mais forte psicologicamente!




Obrigada por sua visita! Nos vemos por aí! Bons treinos!

terça-feira, 14 de março de 2017

Agora é a vez dos 5k!

Domingo, dia 5 de março, foi dia de participar da primeira prova da distância alvo deste ano, os 5k.




A primeira escolhida foi a Track Field Run Series Market Place. É uma prova plana, bem organizada, e propícia para alcançar o objetivo de melhorar a marca pessoal.

O evento contou com as distâncias de 10 e 21K além dos 5k, e desta forma, agradou a todos os perfis de corredores. A largada e a chegada foram na Marginal Pinheiros, na pista expressa, em frente ao Shopping Market Place, patrocinador principal da prova.

Chegamos cedo ao local, o estacionamento do shopping é liberado aos participantes, além da utilização dos banheiros e dependências internas, que promove um conforto pré e pós prova aos participantes.

Largada marcada para as 6:30 para quem participou da meia maratona e as 7h para os 5 e 10k.
Antes da prova encontrei o Maurício Outa, aluno da assessoria, e também o Juliano, atleta do clube Esperia.

Aquecemos próximo da largada e depois nos posicionamos. Estava muito ansiosa, pois tinha uma meta a cumprir, assim como todas as provas. Porém provas curtas me dão uma maior ansiedade, por ser rápida e em maior intensidade, e desta forma não há tempo para erros. Tudo precisa estar bem planejado.

Larguei em busca de melhorar a marca anterior obtida no Circuito das Estações em novembro, e a meta era fazer abaixo de 21 minutos.




Corri próxima do Marcelo até um pouco mais que o quilômetro 2,5. Após ele se distanciou um pouco, pois é mais rápido do que eu (risos). Minha meta também é alcançar ele (risos).




Consegui fazer todos os quilômetros próximo ao ritmo entre 4 e 4:05 min/km. E assim além de conseguir completar com um tempo mais rápido do que o previsto, fui a primeira colocada com 20:19 (tempo oficial).
E o Marcelo completou em 15º com o tempo de 20:00. Foi demais!










Treinar corrida, não é somente fazer os treinos, é também ter paciência em respeitar o tempo que cada um necessita para evoluir. E este tempo não é igual para todos.

Aprendi com estes quase 16 anos acumulados, que não ter pressa é o segredo. A regularidade, dedicação irão aos poucos mostrar os resultados esperados, e sempre na velocidade de seu corpo.

Parabéns a todos participantes, em especial ao aluno Maurício, ao Marcelo e a Vivian, que reencontrei depois de algum tempo, e aos amigos corredores presentes.

Agora é dar continuidade ao segundo período específico, até a segunda prova, que será em maio.

Bons treinos e muito obrigada por sua visita!

Até a próxima!

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Meia Maratona mais que especial: a melhor de todas!

Sempre disse que a meia maratona é a minha distância preferida dentre todas que corri.

Ela tem um toque especial de ser quando a comparo com as outras distâncias. Ela exige um volume de treinamento, e é o ponto de partida para quem deseja almejar distâncias maiores.

E domingo, dia 19 de fevereiro, foi uma corrida muito especial. Estava bastante ansiosa. Foi uma das melhores de todas as meias maratonas que corri.


Não foi a minha melhor marca pessoal, pois nem almejava isso. Porém foi a prova que me senti livre e corri de forma espontânea, de acordo com o meu estado atual de treinamento. Prestei muita atenção nos movimentos do meu corpo, cadência, respiração, e refleti muito. 
Utilizei como prova treino e foi a minha segunda meia maratona com o calçado five fingers da Vibram


Tudo fluiu da forma que planejei, em completar sub 1h45. O calor foi o grande desafio, além da altimetria do percurso. Foi a prova que finalizei mais ensopada (risos), devido ao clima úmido e quente.

Fiquei muito feliz também com a estreia da tenda da minha assessoria de corrida e com a presença de alunos e amigos.














Quero parabenizar aos alunos dos resultados obtidos, e que fizeram os ajustes que orientei no ritmo de prova de forma correta para terminar bem, mesmo naquela alta temperatura: Walmir, Jilliardy, Carlos, Odair e Leonardo. Parabéns a todos!

Agradeço especialmente ao Colucci e Portal Sempre Correndo pelo fornecimento da minha inscrição; ao Marcelo e meu irmão Ale por toda ajuda na estrutura, e a todos que torcem sempre de perto e de longe.

Daremos continuidade aos treinos rumo a primeira prova alvo do ano: Track Field Market Place, dia 5 de março. Eu e o Marcelo nos 5k, que será a distância foco de 2017.

Parabéns a todos participantes e organizadores. A Yescom pela excelente campanha realizada neste evento para a redução de participantes sem inscrição.
No Portal Sempre Correndo vocês podem acompanhar mais detalhes sobre como foi o evento e resultados: http://www.semprecorrendo.com.br/corridas/meia-maratona/deu-quenia-na-11a-meia-internacional-de-sao-paulo/


Obrigada por sua visita e até a próxima! Bons treinos!

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Volta ao Cristo: Conseguimos!

Sabe aquela prova que você sempre teve muita vontade de participar? Que muitos amigos corredores já fizeram e falaram que é muito difícil, mas que todo esforço é compensado pelo lugar onde é realizada?




A Volta ao Cristo se enquadra nesta lista. Sempre me recomendaram participar, e este ano eu não deixaria passar como ocorreu nos outros.

No mês de dezembro decidi que iria. Conversei com o Marcelo e assim nos programamos para estarmos presentes na corrida e também para conhecer a cidade de Poços de Caldas, local da prova.

Para quem não conhece, a Volta ao Cristo acontece há 35 anos, na cidade mineira. A corrida tem seus primeiros 5,5 km planos, depois uma forte subida por 4 km, seguida de mais 4 km em descida, finalizando com 2,5 km planos.
Foto: Portal Sempre Correndo - Antonio Colucci

Assim que fizemos a inscrição, programei alguns treinos específicos para a prova, como a subida no Pico do Jaraguá em São Paulo, que agora após participar da prova vi que a do Pico é muito mais "fácil" do que a da prova, sem dúvida rsrs. E também treinos de velocidade em rampa, além dos outros métodos complementares, como rodagens, intervalados e pliometria.

Estava muito ansiosa para a prova, pois além da subida, temia a descida, por ser mais que a metade em piso de terra com declives acentuados em muitas partes.

Combinei com o Marcelo de fazermos a prova juntos, de ponta a ponta, pois precisaria e muito de sua ajuda.





A largada foi dada pontualmente as 9h da manhã em frente ao Estádio Municipal. O sol já estava forte e despertando os 2000 corredores presentes na 35ª edição, conforme divulgado pela organização do evento.




Me chamou muito a atenção a simpatia e cumplicidade das pessoas que estavam participando. E também das pessoas assistindo e torcendo em muitas partes do percurso.



Foto: Portal Sempre Correndo - Antonio Colucci




Quando a subida iniciou percebi o quanto seria difícil. A forma de correr se altera muito com a inclinação, e se manter correndo durante os 4k é o grande desafio desta prova. Aliás, completar esta prova já é um enorme desafio. E todos que o fazem são vitoriosos!

Fizemos toda a subida, no máximo que suportava. Andei em algumas partes pois realmente estava precisando. Me entreti o tempo todo com os corredores ao lado e amigos corredores que nos cumprimentavam. 

E assim chegamos ao Cristo, iniciando o percurso de terra rumo a descida. 


Foto: Portal Sempre Correndo - Antonio Colucci

Foto: Portal Sempre Correndo - Antonio Colucci


Neste momento segurei a mão do Marcelo e assim fomos até o final dela, de mãos dadas. Era a única forma de eu enfrentar o medo e conseguir descer rápido.

Foi um momento muito emocionante, pois diversos corredores elogiavam o nosso ato, e isso nos motivava ainda mais.

Foram praticamente 6 quilômetros de mãos dadas até a chegada. Uma corrida que ficará marcada em minha memória sempre.


Foto: Portal Sempre Correndo - Antonio Colucci

Foto: Portal Sempre Correndo - Antonio Colucci

Obrigada Marcelo por dividir comigo cada quilômetro desta prova. Nunca vou me esquecer.



Parabéns a todos amigos corredores que estavam presentes e a todos que concluíram este desafio! Em especial ao Colucci (que escreveu um texto muito bom: leiam em http://www.semprecorrendo.com.br/blog/35a-volta-ao-cristo-de-pocos-de-caldas17/), Clovis e Tião Moreira por registrarem este momento através das fotos.

Quem sabe nos vemos por lá ano que vem!

Bons treinos e obrigada por sua visita!