quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Review Vibram Five Fingers

Este será o meu segundo review sobre tênis de corrida.

Porém este modelo que vou falar é bem diferente dos calçados que a maior parte dos corredores utilizam, e também muito diferente do tênis do meu primeiro review.

O modelo de calçado será da marca Vibram, do tipo five fingers com a separação dos dedos: 
Bikila e Kso Evo.
São tênis que imitam um pé humano, e facilitam uma movimentação natural de nossos dedos e nosso pé como um todo.

Antes de falar sobre a minha experiência, gostaria de relatar algumas características importantes sobre a constituição destes dois modelos:

Bikila:



Material superior: poliéster malha
Sola: Espessura 8,5 milímetros (2,5 Rubber/4-EVA/2-insole)
Sem palmilha removivel
Leve: menos de 100g(tamanho 40 EU)

Kso Evo:



Material superior: Tecido de poliéster
Sola: Palmilha 2 milímetros EVA + Midsole: N / A • Borracha: 3mm
Sem palmilha removivel
Leve menos de 100g(tamanho 38 EU)

Utilização:






Utilizei o Bikila (laranja), desde junho de 2016 (média de 2 treinos por semana) e o Kso Evo desde abril de 2016 (média de 1 treino pro semana), ou seja, 1 ano e 5 meses o primeiro e 8 meses o segundo.

Utilizei em treinos de rodagem (asfalto e pista) e também em treinos de velocidade (asfalto e pista). Utilizei em asfalto e pista molhada também.

Fiz uma prova de 5k e duas meias com o Bikila, no asfalto, piso seco.

Fiz uma prova de 5k com o Kso Evo, asfalto, piso molhado.

Utilizei-o com meia (apenas quando estava muito frio) e sem meia, na maior parte das vezes.


Minha percepção sobre os aspectos:

Peso:

Os dois modelos são extremamente leves e sensação de estar descalço.

Drop:

Ambos modelos de solado bem fino, o que força a utilizarmos muito mais a musculatura da parte de trás da parte inferior da perna, que no início da utilização, pode causar muitas dores musculares, caso o corredor tenha costume de utilizar tênis com diferença de drop.

Conforto:

Os dois são mais confortáveis sem a utilização de meia. Sensação de liberdade na movimentação dos dedos principalmente.

Sola:

A sola de ambos modelos é fina, que protege de machucados, porém a sensibilidade a qualquer tipo de obstáculo, como pedras e outros objetos pontiagudos é alta.
No asfalto molhado os dois possuem boa aderência, porém na pista molhada, levemente escorregadio.

Tamanho:

É altamente recomendável ver a tabela de numeração para encontrar um tamanho correto.

Tipos de treinos:

A meu ver é apropriado para todos os tipos de treinos, desde rodagens, longos e treinos de velocidade. Porém é importante que a pessoa aumente a quilometragem aos poucos para uma melhor adaptação e sem riscos de se lesionar.

Durabilidade:

A durabilidade do Bikila, que tem um tempo maior de uso do que o Kso, foi maior. A sola é mais resistente e está com poucos pontos de desgaste em comparação ao Kso. A durabilidade pode depender também do tipo de terreno que a pessoa corre (asfalto deve gastar mais).

Resumo da minha opinião:

Este calçado promove uma sensação diferente de todos os tênis que já utilizei.
Naturalmente modificamos a aterrissagem da corrida para o médio pé, e aumentamos a cadência, similar ao que ocorre quando corremos descalços.

Um ponto negativo é a dificuldade de encontrar o produto aqui no Brasil.

Eu recomendo a compra para quem já tem interesse e quem tem curiosidade de como é correr descalço, porém tem receio por conta dos pisos que treinamos. Além destes, existem outros diversos modelos da marca.


Espero que tenha gostado deste meu segundo review. É simples, porém incluo informações que são úteis aos corredores que tem curiosidade de saber mais sobre o produto.

Em breve farei de outros dos modelos de tênis que utilizo em meus treinos.


Obrigada por sua visita e bons treinos!

Nenhum comentário: