sábado, 23 de maio de 2015

Conseguimos!

Conheci os desafios dos 42,195m em 2006, o ano que debutei na distância. Foi na cidade de São Paulo. Na época a largada da corrida era por volta das 9h15. Conclui a prova em um pouco mais de 4h. A partir deste momento me apaixonei ainda mais pela corrida.

Em 2007 estava lá novamente, e nesta segunda participação, "sofri" mais em relação a primeira. Cometi um erro no ritmo inicial, que comprometeu a minha prova a partir da segunda metade. Consegui concluir, mas com um tempo maior do que o ano anterior.

Em 2008 resolvi não participar. Mas em 2009 voltei para ela com uma melhor organização dos treinos e mais preparada. Consegui concluir com meu recorde pessoal na distância e com muita vontade de retornar no ano seguinte.

No ano de 2010 foi a minha última participação, mantive o mesmo tempo de conclusão que o ano anterior.

Continuei a treinar para as outras distâncias, participei nestes últimos 4 anos e meio em provas de 4k à meia maratona. Sou literalmente apaixonada pelos desafios que cada uma dela impõe, mas com uma amor maior para as meias e também a maratona.

O ano de 2015 foi muito especial para mim. Primeiramente porque me tornei uma melhor corredora, não em termos de performance, mas sim no fator amadurecimento.

Parece que a cada ano aprendemos alguma coisa com a experiência adquirida nos treinos, provas e na vida pessoal. Tudo que passamos nos deixa alguma lição. E este ano percebi que estava preparada para voltar a participar de uma maratona.

Não almejei metas distantes, mas sim realistas. Aumentei o volume de treinos de uma forma lenta e fui me adaptando adequadamente sem riscos de se machucar. Curti cada sessão de treino e seus desafios. Não senti medo e ansiedade em nenhum momento. Apenas aproveitava e comemorava cada dia de treino.

O dia da prova foi aproximando. E eu me sentia muito bem.

Momentos antes da prova

E finalmente chegou o grande dia. Repeti na corrida a mesma estratégia dos treinos. Tinha um ritmo em mente e fui lá para fazê-lo.

Gráfico do ritmo que mantive durante todo o percurso da Maratona de São Paulo, percebo que teve uma grande relação com os meus treinos. Fiz os 3 longos maiores de 30k em um ritmo médio um pouco abaixo de 5 minutos por quilômetro, ou seja, sempre próximo da velocidade de 12km/h. Estes longos, aliados com os outros métodos de treino durante a preparação, me ajudaram a manter um ritmo mais rápido na prova, sempre próximo a 12,7km/h. O legal de observar este gráfico é ver que mantive um ritmo médio constante, com pequenas oscilações decorrentes do percurso. 

Os quilômetros iam passando. Muitos amigos presentes nas distâncias oferecidas no evento. Inclusive os alunos que seguiram a minha orientação para a prova.





Fiquei muito feliz com cada grito de torcida, cada sinal com a mão e cada sorriso recebido. Agradeço de coração todo apoio de vocês.

Foto: Vivian de Oliveira

Apoio da equipe AB
Por isso retribui da mesma forma que sempre faço, sorrindo sempre em todas as partes do percurso, inclusive nos quilômetros e metros finais.

Foto: Kátia Hiromi

Conclui a melhor maratona da minha vida, em relação ao tempo de conclusão e principalmente ao meu estado de espírito.

Foto: Luiz Carlos da Costa

Foto: Marcelo Jacob
Estou novamente preparada para ela, e também preparada para todos os desafios da vida!

Foto: Wagner de Moraes

Parabéns a todos corredores, vocês são grandes vencedores na corrida e também na vida!






Resultado:
Tempo de conclusão: 3h21'33" (recorde pessoal)
14ª colocada geral feminina

Resultados oficiais no site do evento: 


2 comentários:

Antonio C R Colucci disse...

Parabéns Dani.
Passou que nem um aviãozinho e manteve o voo rumo a chegada.
Beijos
Colucci

Daniela Barcelos disse...

Obrigada Colucci! Sempre!
Espero revê-lo em breve! Sempre é um grande prazer e divertimento!

O que 2020 te ensinou com relação a corrida?

2020. Um ano em que muitas coisas mudaram na vida de todos. Um ano em que diariamente vimos o quanto a pandemia levou pessoas, mudou o norma...