terça-feira, 23 de novembro de 2021

Ressignificando a corrida


 

A prática da corrida de rua está há tantos anos inserida na minha vida que ela se tornou algo impresso no meu dia. 

No início, ela parecia ainda algo fora do contexto, algo que eu estava me adaptando, mas que de alguma forma já me passava ser tão natural e que eu não iria mais parar de praticar.

Hoje, mais do que nunca antes, a corrida se tornou parte de mim. Independente do tipo de treino que faço (rodagem, treinos intervalados, rodagens mais longas, provas) sinto que a corrida é parte da minha família, e que eu sempre tenho que fazer o melhor que posso para deixá-la feliz e confortável em meu corpo.

Foi nesta época da pandemia, que a cada dia isso foi se tornando mais claro. Fiquei por muito tempo sem competir, e desta forma, enxerguei o significado mais importante da corrida. Eu não treinava somente para competir, era muito além disso. Aliás, agora nem consigo chamar meus treinos de treinos 😆, pois é algo tão natural, que posso chamar até de ritual.

Assim que acordo, já visualizo meu corpo correndo e o quanto aquilo é importante para mim. Boa parte dos meus treinos realizo em circuitos, ou seja, locais que fico dando voltas. Alguns tem um pouco mais de 2km, outros são mais curtos, de 1km, e outros ainda mais, 400 metros, como a própria pista de atletismo. 

Fico tão envolvida neste momento que nem sei quantas voltas eu faço e a cada volta eu sempre vejo algo diferente neste mesmo circuito. É como se com o tempo acumulado da minha corrida, eu enxergasse coisas diferentes na mesma paisagem. E é algo incrível, que nem mesmo eu consigo explicar. 

Quando percebi este sentimento pela corrida, ela se tornou algo ainda mais leve, se tornou minha aliada. Me ajuda em tantos aspectos que não consigo enumerar aqui.

Sempre gostei e ainda gosto muito de me desafiar, de colocar metas e objetivos, independente de ser em provas ou fora delas. É a forma como me comunico com a minha corrida e como ela me ajuda a me tornar mais forte, principalmente no aspecto mental. 

Se você está aqui lendo este texto e é um praticante de corrida, tente encontrar o significado dela na sua vida, de como você se sente diante desta prática e assim ela se tornará algo mais claro para você. Você entenderá o porque ela se tornou sua atividade preferida. Tenho certeza que depois que você entender isso, terá ainda muito mais satisfação quando estiver correndo.

Obrigada por sua visita e boas corridas em sua vida. 😊


segunda-feira, 18 de outubro de 2021

1ª Corrida da Uva de Vinhedo




 

Dia 17 de outubro participei novamente de uma corrida de rua oficial. Havia me inscrito nesta prova em janeiro de 2020, antes mesmo da pandemia tomar conta de nossas vidas.

Ao mesmo tempo que fiquei contente de fazê-la, fiquei também bastante ansiosa. Isso é normal ocorrer, mas estava um pouco acima do que sentia em dias anteriores a provas.

A corrida ocorreu na cidade de Vinhedo, que fica bem próximo aqui de Jundiaí, organizada pela Pace Assessoria, que é uma equipe de corrida local.

O kit pré prova veio bastante recheado, com vários brindes e com uma camiseta bem bonita. Na retirada tivemos que apresentar o cartão de vacina da Covid. Era uma das exigências para poder participar.

A organização da prova teve que fazer algumas alterações em algumas atrações que ocorreriam para poder realizar o evento. Mas mesmo assim, ainda conseguiu manter diversas delas.

No evento teve três modalidades, a Canicross, que era uma corrida de 3km com os donos que levaram seu cachorros de estimação. Na sequência veio a corrida de 5km e após a caminhada de 3km.

A largada da prova estava prevista para as 8h., em ondas de 200 atletas por vez a cada 30 segundos. Onde a ordem era definida pelo número de peito.

A classificação foi pelo tempo líquido, para que ninguém fosse prejudicado.

A largada foi de dentro do Parque Municipal Jayme Ferragut, e teve um percurso bem duro, com subidas a partir do 3º quilômetro. O que tronou a prova de 5km ainda mais difícil do que ela já é.

Sempre tive mais facilidade com provas mais longas, a partir de 10km, mas quando tenho a oportunidade, sempre me exponho a este tipo de prova justamente para me tirar da zona de conforto.

Terminei a prova em 22:45, ritmo médio de 4:33 min/km. Na geral fiquei na 11ª colocação e na categoria por idade, na 4ª colocação.


O nível da prova foi bem difícil, com várias atletas fortes de Jundiaí. A vendedora foi a atleta Zenaide Vieira.

O Marcelo também correu e fez um bom resultado.

Como mudei recentemente para Jundiaí, estou conhecendo diversos corredores, e gostaria de parabenizar a todos dos resultados pessoais.

Agora é seguir em frente, treinando e principalmente agradecendo por ter saúde para fazer o que amo.

Bons treinos e muito obrigada por sua leitura!

terça-feira, 14 de setembro de 2021

Competindo novamente

Estamos vivendo a pandemia há mais de um ano, assistindo nos jornais e vendo no dia a dia, todas as consequências tristes e desastrosas que ela trouxe.

Muitas coisas tiveram que deixar de serem feitas, justamente para que as aglomerações não ocorressem. E as competições também foram suspensas.

Muitas profissões foram prejudicadas com isso, mas todos procuram encontrar formas para se recuperar. E isso aconteceu também com as organizadoras de eventos.

Com o avanço da vacinação e com a queda das mortes, muitas atividades foram voltando aos poucos, e também junto a elas algumas provas de rua.

Aqui na cidade onde moramos, Jundiaí, ainda teve poucos e pequenos eventos nos meses anteriores, mas ainda naquela época evitei de participar. 

Mantive meus treinos, meus desafios pessoais, para estar preparada e também porque a corrida é meu combustível diário.

No final do mês de agosto, um amigo corredor da Infinity Run, perguntou se eu queria competir em setembro na 4ª Corrida do Coração. Um evento simbólico para representar esta prova que está crescendo bastante aqui na cidade. Que seria realizado na pista do Bolão. 

Fiquei muito feliz com o convite e aceitei participar.

Adalton - Infinity Run


Duas distâncias foram realizadas, 5.000 e 10.000 metros, com 5 participantes homens e mulheres em cada uma delas.

Fiquei muito feliz com o convite e assim pude matar as saudades de correr em uma prova.

Um dia antes, fui retirar o kit na Centro Cor, clínica de cardiologia, aqui da cidade, e lá pude conhecer pessoalmente os atletas Marilson dos Santos e sua esposa Juliana dos Santos. Foi um momento muito especial, pois pude conversar com eles e saber um pouco mais da história de cada um.



Medalhas do atleta Marilson
Medalhas do atleta Marilson

No dia seguinte, na pista, eles também estiveram presentes, e após a prova me falaram sobre a minha forma de correr e deram excelentes dicas que já estou colocando em prática nos treinos.

Consegui ficar na terceira colocação nos 10.000 metros e assim vivenciar mais um pódio em minha vida. Foi um momento muito especial, que vou guardar para sempre em minha memória.

Largada 10.000 metros



Zenaide, Juliana e Nadhya

O troféu que ganhei darei de presente para minha mãe que fez aniversário um dia antes da prova e prometi a ela, que se eu conseguisse, daria a ela. Esta prova foi para ela.

Pódio 10.000 metros feminino

Agradeço mais uma vez a todos envolvidos neste evento muito bem organizado. Ganhei muitos brindes e pude conversar e conhecer mais amigos corredores que compartilham deste mesmo amor pela corrida.

Parabéns a todos participantes, desta e também da prova virtual!

Que tudo possa melhorar ainda mais, para que a vida volte mais parecida com a normalidade e assim possamos compartilhar de mais momentos como este.

Obrigada por sua leitura!

Dani Barcelos.

Crédito das fotos 📷: Edwanderson Luiz 


terça-feira, 29 de dezembro de 2020

O que 2020 te ensinou com relação a corrida?



2020. Um ano em que muitas coisas mudaram na vida de todos. Um ano em que diariamente vimos o quanto a pandemia levou pessoas, mudou o normal e restringiu.

Tudo foi afetado. E com a corrida, não seria diferente. Sabemos que a corrida não é nada perto de tantos problemas e dificuldades que ainda estão presentes em nossos dias. Mas sabemos que esta mesma corrida, pode ajudar a superar e deixar-nos mais fortes mentalmente.

Este ano completei 20 anos de corrida, e hoje ela se tornou algo ainda mais importante e com um significado muito maior do que tinha antes.

Os treinos antes, eram guiados pelas provas, que era o ápice da preparação, onde o objetivo era sempre fazer o melhor.

E este ano, sem provas, a corrida diária teve outros objetivos. Que tinham início e fim dentro de mim. Os resultados valeriam apenas para mim. 

Mas estes resultados não são somente em termos de tempo ou distância, mas sim de poder todo dia, seja em qual lugar for, ter a oportunidade de correr e usufruir de tudo que a corrida proporciona para mim.

Cada dia é tão importante, por eu ter saúde e desfrutar deste esporte. De estar bem fisicamente e mentalmente para fazê-lo. A conquista é diária.

Tenho certeza de que mesmo quando as provas voltarem, o significado que a corrida tem hoje vai sempre ser mais forte, e as provas serão apenas um algo a mais.

Que em 2021 as coisas melhorem e possamos descobrir muito mais significados para a corrida, que tenho certeza, que nos surpreenderá sempre com todo seu poder.

Um bom ano novo para todos, sempre com muita esperança 👐🙏





terça-feira, 3 de março de 2020

Primeira prova do ano: Track Field Shopping Galleria



Quem me conhece sabe que gosto muito de correr meia maratona e gosto de encaixar antes da meia alvo algumas provas de menores distâncias, principalmente corridas de 10 quilômetros.

Minha primeira prova alvo do ano será em junho (7), na cidade de Campinas, na meia maratona Pague Menos, e por isso agora em março, planejei duas provas para não ficar muito longe das competições até o meio do ano, e também para testar meu ritmo em ambiente de prova.

O que não imaginava é que esta prova escolhida teria uma altimetria bem difícil.
Tenho o conhecimento de que a cidade de Campinas não é plana, mas não esperava 6 subidas em uma prova de 10km 😱. Assim foi a Track Field Galleria Shopping, que ocorreu dia 1 de março.

Infelizmente o site da prova apenas informava o percurso, mas não sua altimetria, e por isso foi uma surpresa para mim, e também para o Marcelo, que correu nos 5km.

Durante a primeira metade tentava encontrar um ritmo, mas logo vinha uma outra subida ou uma descida forte, que me impediu de manter um pace constante. Senti muito mais a parte cardiorrespiratória do que a muscular, talvez pela variação e também por ter me influenciado de alguma forma psicologicamente.



Passei a primeira metade do percurso, com 22:59 (4:36 min/km), que para mim, é um tempo alto, mas levando em consideração a altimetria estava ok 😰.
Porém na segunda metade senti muita dificuldade em manter o mesmo pace médio da primeira, e meu ritmo caiu drasticamente. Coloquei em minha cabeça que o objetivo era terminar a prova sem se sentir mal, e assim fui até cruzar a linha de chegada.
A última subida foi a pior de todas, o pace subiu bastante e todos os corredores ao meu redor estavam com a mesma dificuldade.

O tempo foi muito alto para uma prova de 10km (50:17 - oficial), porém fiquei em 9ª na geral feminina, o que mostra que mesmo com o tempo alto, fui relativamente bem na classificação final.

Parciais por quilômetro


O Marcelo voou, mesmo com este percurso, e completou na 9ª colocação geral no masculino nos 5km. Orgulho demais!



Provas com subida pesam ainda mais na parte psicológica, principalmente se ainda forem duas voltas iguais.

Mas o importante é manter o foco, e continuar os treinos rumo aos próximos objetivos, pois provas passam e nos deixam aprendizados, independente da distância.



Parabéns a todos que enfrentaram este desafio!

Vamos em frente, continuando a treinar e superar a nós mesmos.

Bons treinos!

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

3ª Maratona de Sorocaba - a última prova do ano

Dia 23 de novembro participei da última prova de 2019.

Escolhemos a Maratona de Sorocaba que é um evento que tem dois dias de duração, com provas no sábado (5 e 10km) e no domingo (5, 10, 21 e 42km).

Participei dos 10km e o Marcelo, nos 5km. Optamos por correr no sábado, pois assim poderíamos ter o domingo para recuperar para iniciar a semana.

Apesar deste ano minha distância alvo ter sido a meia maratona, optei pela distância menor pois vim de 5 meias neste ano, e preferi não forçar muito meu corpo em mais um volume alto em prova.

Chegamos em Sorocaba na sexta-feira, e fomos direto retirar o kit da prova.

Aproveitamos o dia também para conhecer o local da prova (Parque das Águas) e também para deixar tudo organizado para o dia seguinte.

Estava bastante calor na cidade, então priorizei muito a hidratação no dia anterior e também nas horas antecedentes a prova.

Encontramos também o amigo Colucci do Portal Sempre Correndo e o ultramaratonista Christopher Chow, que participou dos dois dias da prova, fazendo o desafio.

A largada foi dada as 7 horas da manhã, e assim todos partiram em busca dos objetivos.

Liderei durante toda a prova a primeira posição nos 10km, e assim pude fazer o ritmo que estava em mente. Finalizei com 43:20 na primeira colocação.





O Marcelo também foi muito bem e completou a prova em sétimo lugar e segundo na categoria de idade, conquistando também um troféu para a nossa equipe.



Colucci e Chris

Gostamos muito do evento, bem simples e muito bem organizado. Fiz massagem pós prova com os fisioterapeutas presentes e assim ter uma boa recuperação para dar continuidade aos treinos.

A vitória nesta prova eu dediquei ao meu pai que faleceu há quatro anos, e a prova foi justamente no dia de seu aniversário. Lembrei muito dele pois ele sempre esteve presente comigo nas provas e ficava muito feliz com as minhas conquistas.

Parabéns a todos participantes, em especial ao Marcelo e ao amigo Colucci, que fez uma cobertura do evento. Vocês podem conferir no canal dele no YouTube.

Agora é dar continuidade aos treinos e período de base para os objetivos que virão em 2020.

Obrigada por sua visita e até a próxima!

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Meu review: Nike Zoom Fly 3

Este é mais um review de um tênis que utilizei por algumas semanas: Nike Zoom Fly 3





Fiz aproximadamente 100km com ele em alguns treinos. Os locais que utilizei foram: pista de atletismo, piso de concreto em parque e esteira. Apenas fiz treinos e não utilizei em competições.



Este tênis está na categoria performance da Nike, e é a terceira geração dos Zoom Fly’s. Tive o primeiro modelo, que também fiz um review, e já adianto que a sensação de corrida deste é bem diferente.


 A primeira coisa que fiz no tênis foi substituir o cadarço por um cadarço elástico, pois este fez que o tênis ficasse mais ajustado ao me pé, e melhorou muito com relação a isso.



A questão de responsividade da placa melhorou com relação ao primeiro modelo, e o tênis está com uma batida menos seca, devido ao tipo de solado React. Porém mesmo com esta maciez, o tênis se mantém responsivo, devido ao solado não possuir nenhum tipo de flexibilidade.
Mesmo eu sendo uma pessoa que utiliza tênis com solado mais baixo, gostei da experiencia de corrida deste modelo.




Com relação ao peso, ele está um pouco mais pesado que o primeiro modelo, o que é um ponto negativo para um tênis da categoria performance.
Fiz treinos de rodagem com ele, treinos de ritmo e intervalados extensivos. Porém achei o mesmo mais apropriado para treinos de rodagem e ritmo devido ao peso do calçado.





O grip dele é bom nos pisos que utilizei, inclusive quando os mesmos estão molhados.
Com relação ao cabedal, é bastante confortável, possível até de ser utilizado sem meias para quem aprecia.





Minha percepção em tópicos:


Peso: Médio para um tênis de performance. Deveria ser mais leve com relação a primeira edição.
Conforto: Confortável e forma normal.
Sola: Responsiva e macia ao mesmo tempo.
Tipos de treinos: É apropriado para de rodagem, ritmo e provas mais longas, como meia maratona e maratona.
Durabilidade: Apesar de ter utilizado por 100 quilômetros, a sola se mantém sem nenhum tipo de desgaste, inclusive todos os desenhos do solado estão iguais de quando era novo.

Características técnicas:

Drop: 8mm
Pisada: Neutra 
Entressola: React com placa de carbono

Material do cabedal: Vaporweave (malha tipo nylon com neopreme)
238 g aproximadamente- Tam 39 masculino.



Eu recomendo a compra para quem já tem interesse e aprecia tênis com estas características. Sendo o único ponto negativo, o peso do calçado.

Obrigada por sua visita e bons treinos!

Ressignificando a corrida

  A prática da corrida de rua está há tantos anos inserida na minha vida que ela se tornou algo impresso no meu dia.  No início, ela parecia...