terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Correndo sempre por ele

Não é nada fácil voltar a rotina depois de perder uma pessoa que era o seu herói, que te acompanhou desde o seu nascimento em tudo que realizou em sua vida, que torcia e vibrava por suas conquistas, e chorava de emoção quando via você e sua família bem.



Perdi meu pai, para uma doença que regrediu as suas capacidades em apenas alguns anos, e o seu maior tesouro, as memórias de sua vida.

Fazia apenas uma semana que ele não estava mais entre nós. Poucos dias que esta dor tomou conta de toda família.

Tinha saído para correr duas vezes, sem rumo, apenas para tentar relaxar e amenizar a tristeza. Fui na cidade de Aparecida com minha mãe e meus irmãos para rezarmos a missa de sétimo dia do meu pai. Neste local sentimos uma paz tão grande, que de alguma forma confortou os nossos corações.


Ao chegar em casa recebi uma mensagem do Colucci, perguntando se eu poderia participar de uma corrida no domingo seguinte. Contei para ele o que havia acontecido, e segui o seu conselho de aceitar o convite para me sentir um pouco melhor através do que mais amo fazer.

E assim participei no dia 6 de dezembro da 4ª Corrida de Natal, no Parque do Ibirapuera. Optei correr nos 5km.

Larguei no meu ritmo e tentei buscar as meninas que disputavam as primeiras posições. Mas nem minha cabeça e meu corpo queriam me obedecer. E assim tentei correr o máximo que pude.


Corri praticamente a prova toda ao lado do Colucci, que me concedeu a inscrição, e que sempre contagia a todos com sua alegria e energia positiva, mesmo quando na corrida acontecem fatos inesperados, como nesta, em que a polícia estava atrás de um manifestante.

Terminei a prova na 6ª colocação. Não subi ao pódio. Mas esta e todas minhas corridas, sejam elas treinos ou competições, sempre serão dedicadas ao meu pai, a minha mãe, e a todos que torcem por mim.

Colucci

Flávia
Quero aqui agradecer aos abraços recebidos dos amigos Colucci, Clovis, Flávia, Ana Luiza (Animal).   
E em especial a esta pessoa que está ao meu lado em tudo: Marcelo. Obrigada sempre.

Marcelo
Parabéns a todos participantes!

2 comentários:

Vivi Salles disse...

Dani, é muito díficil sim... a tristeza vai dando lugar a saudade e somos motivados por uma força maior, que sempre acho que vem de outro lugar. Um beijo grande!

Unknown disse...

Meus sentimentos...espero que essa dor em breve se torne uma lembrança dos momentos felizes que viveram...e encontre forças para seu caminho seguir.
Regis

O que 2020 te ensinou com relação a corrida?

2020. Um ano em que muitas coisas mudaram na vida de todos. Um ano em que diariamente vimos o quanto a pandemia levou pessoas, mudou o norma...